quarta-feira, dezembro 8, 2021
Use Coworking
InícioArtigosO Estado Mínimo como pressuposto da Liberdade

O Estado Mínimo como pressuposto da Liberdade

O movimento pela liberdade vem crescendo nos últimos anos em vários países do mundo, especialmente no Brasil, sendo conhecido principalmente após as manifestações políticas de 2015 e 2016. O Liberalismo acredita que o crescimento de uma nação depende da atuação mínima necessária do Estado.

O Estado surgiu com o objetivo principal de regular as ações humanas em determinadas esferas, controlando a economia, o trabalho, o convívio entre as pessoas por meio da criação de Leis, a educação, saúde e segurança, e etc. Com a evolução social, o Estado foi tomando proporções imensas e praticamente controlou quase tudo, interferindo na liberdade das pessoas.

Atualmente, as pessoas estão mais cientes da liberdade e que o Estado não deve interferir na sua rotina, principalmente no campo econômico. É comum empreendedores desistirem de abrir uma empresa em razão da grande dificuldade imposta pelo Estado, através de um longo processo burocrático que desestimula os interessados.

Outro exemplo de forte interferência estatal é a cobrança de impostos sobre Veículos Automotores (IPVA). Esse imposto é destinado exclusivamente para a sinalização das ruas, avenidas, construção de estradas e rodovias e manutenção das vias públicas. No entanto, acaba sendo desnecessário, pois com a privatização das rodovias e do setor de transporte (que seria o correto para nosso país), as pessoas além de pagarem pelos impostos, pagam pelos pedágios quando circulam pelas rodovias privatizadas. Isso é injusto, pois pagamos duas vezes pelo mesmo serviço, que muitas vezes não é revertido como deveria.

A liberdade econômica é fator essencial para o crescimento de uma nação, sendo o caminho adotado pelas grandes potências mundiais. O Estado existe sim, mas sua atuação deve ser mínima, para não prejudicar a vida entre as pessoas, especialmente na família. Saúde, educação (apenas a de base) e segurança deveriam ser de responsabilidade estatal, sem nenhuma empresa gerida por este, através de vouchers, para evitar a corrupção e a elevada arrecadação de impostos.

Wandersom Willian da Silva
Coordenador Local na Instituição Estudantes pela Liberdade, no período 2016/2. Atualmente é graduando do curso Bacharelado em Direito pela Universidade do Estado de Mato Grosso, campus Cáceres.
RELATED ARTICLES

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

- Advertisment -
SimSite Agência Digital

Most Popular

Recent Comments

TOMAZ DE AQUINO NETO SEGUNDO on A UFMT faliu, é hora de privatizar
Geane Auxiliadora Vicente de Oliveira on Quem tem compromisso com a sociedade Cuiabana?
Heitor Santana on O Cuiabano que inventou a Uber
Mariana Rodrigues on Pelo direito de ser estúpido
Leila Gonçalves on Pelo direito de ser estúpido