A UFMT faliu, é hora de privatizar

23034
UFMT fechado

Sim, a conta chegou, a UFMT faliu. A desgovernança que nosso país viveu nesses últimos 13 anos fez com que amarguremos mais essa tragédia anunciada. É hora de uma mudança de mentalidade. É hora de privatizar nosso ensino superior.

Muitos podem dizer: “Ah, no governo Lula/Dilma o investimento em educação era maior”. Sabe aquele cartão de crédito que você estoura e quando a fatura chega você paga o valor mínimo? Pois é, isso tem consequências.

Tem outro importante fator também que nossos burocratas de Brasília se esquecem. Recursos são escassos. É impossível oferecer um serviço gratuito e de qualidade sendo irresponsável com a origem de seu financiamento. Obviamente essa conta sempre irá aumentar e, para “equilibrá-la”, dá-lhe aumento de impostos.

Segundo dados do MEC, cada aluno em universidades federais custa em média R$ 1.822,91 por mês, enquanto que na iniciativa privada o custo médio mensal por aluno é de R$ 778,96. Assim é fácil entender porque o sistema público não se sustenta.

Há quem diga que se os políticos não roubassem tanto, daria pra pagar. Não, ainda assim não daria. Basta ver o exemplo da UFMT de Cuiabá que atualmente precisa de “apenas” 14 milhões de reais para sanar suas dívidas e não tem de onde tirar, mesmo tendo um orçamento maior do que o do Município de Várzea Grande.

Será mesmo que o governo é competente pra garantir educação para as pessoas? Será que o setor privado não faz isso de maneira mais eficiente? Será que sem as amarras do MEC, a educação seria muito mais diversificada? E se não fosse tão burocrático empreender na educação, poderíamos ter uma educação privada melhor, mais barata e que atendesse às reais necessidades do mercado?

Mas e os pobres, quem pagaria por eles? Respondo com outra pergunta. O que seria mais barato: o governo pagar para todos ou apenas para aqueles que comprovadamente não têm condições?

É o momento de implementarmos o sistema de vouchers na educação, onde o governo compraria vagas nas instituições privadas para as pessoas sem condições. Isso sim seria introduzir as pessoas em um ensino de qualidade, e não essa distorção que temos atualmente, em que os pobres bancam o ensino dos ricos nas universidades públicas – ou você acha mesmo que os pobres tem a mesma condição de entrar em algum curso de relevância nas federais?

E vamos fazer um exercício de sinceridade. Será mesmo que nossas universidades estão formando pessoas prontas para o mercado de trabalho ou será que, na grande maioria dos casos, estão formando militantes de movimentos de esquerda?

Antes que alguém te fale que deixar a educação na mão da iniciativa privada é loucura e que é coisa de capitalista malvadão que só visa o lucro, comece a lembrar, por exemplo, como era nossa telefonia antes da privatização e como estamos hoje. Ao mesmo tempo perceba que tudo o que é público se arrasta em passos lentos. Há uma palavrinha mágica que explica os motivos disso: “estímulo”. Qual o estímulo que um serviço público tem para ser de qualidade? Qual estímulo um servidor público tem para prestar um bom serviço, se ele não pode ser mandando embora? Qual o estímulo que um serviço oferecido “de graça” (na verdade você pagou caro através de impostos) tem para ser bom, se não existe preocupação com a concorrência?

Privatizar é preciso. Quanto maior o estado, maior o custo, maior o imposto e, consequentemente, maior a corrupção.

13 COMENTÁRIOS

  1. Eu gostaria que realmente ela fosse a falência e definitivamente fosse varrida do mapa. Mas ela é o estado e o estado não está adstrito a “lei da morte”. Essa porcaria aí, como as demais universidades federais e estaduais, são de extrema importância em marte, onde foram concebidas. São dirigidas por aqueles que não são do ramo, os coletores e consumidores de tributos. Na verdade essas porcarias, na arte de torrar dinheiro alheio constituem máquinas. Qualquer investimento que se fizer nela terá a mesma importância que os mamilos dos homens. Mandou bem, essa porcaria está fora de seu tempo. Nós estamos no século XXI. Parabéns por expor a verdade Rafael.

  2. Texto feito por uma pessoa perturbada sem noção alguma de como funciona o ensino superior, a UFMT tem seus problemas como toda universidade mas fazê-la uma privada igual muitas que existem aí é o cúmulo da burrice, estas faculdades privadas que tem por aí a fora no estado são fábricas de diploma, muitos alunos saem sem saber o mínimo necessário, pois para passar basta manter a mensalidade em dias.

  3. Privatizar? Aco que não é a solução! Capacitar nossos administradores e mudar nossos políticos seria a melhor solução! E mudar esse descaso com coisa pública! A iniciativa privada visa lucro se a ufmt vai gerar lucro para iniciativa privada porquê não pode dar certo como instituição pública! A quem interessa essas privatizações?

    • Quem defende esse atual modelo de universidade ou é um mamador de bolsa estudantil ou é servidor público da própria instituição. O papel da universidade é o ensino, porém mais de 90% do orçamento é só para pagar os técnicos e professores. Alias, salários muito acima do mercado. E quem diz que a universidade federal é para os pobres é uma outra falácia. Uma vez que temos um ensino básico horrível, os pobres não têm chance de ingressar em cursos de renome. A grande maioria dos alunos da UFMT são de família de classe média e classe média alta. Ainda pior, é ver esses mesmos alunos, adultos por sinal, sendo sustentados com o fruto do suor da maioria pobre, que jamais poderá usufruir da gratuidade do ensino público da universidade. Cabe salientar, que ao defender o atual modelo, essas pessoas estão se lixando para a situação dos pobres e sequer para o desenvolvimento da própria instituição. O pior que eles não se dão conta da tamanha desigualdade social sustentada por esse sistema. E quem defende maior integração com o mercado e sociedade, é chamado de fascista por essas pessoas, que no fundo querem que o estado promova tudo e todos. Onde já se viu uma universidade que tem bandeiras e cartazes promovendo o anti-empreendedorismo. A universidade não é empresa mesmo, porque se fosse, já estaria falida. Pois diferente de orgãos do estado, que rouba recursos daqueles que produzem, as empresas terminam com processos trabalhistas e dívida ativa.

  4. Durante o governo PT a UFMT expandiu ( e o IFMT também).

    Saiu o PT acabou o dinheiro para educação, mas os alienados insistem que a culpa é do PT.

    E vamos privatizar para dar Lucro aos empresários e dificultar acesso aos mais pobres.

    Informacao do reitor do UFMT: “…ignorando a inflação, foram cortados 50% dos recursos para obras e aquisições de equipamentos e 20% dos recursos para manutenção e despesas básicas. Além disso, a Universidade ainda esta sofrendo com o fato do orçamento não estar sendo liberado integralmente.”

  5. Esta errado. O Brasil investe muito, mas muito pouco em educação. O país destina quase 50x mais recursos para pagamento de juros do capital financeiro privado. É o meu imposto engordando o bolso do burguês rentista. E ao contrário do que você tenta passar nas suas meias-verdades, a universidade pública necessita de mais recursos, porque realiza pesquisas, da auxílios e desenvolve atividades acadêmicas paralelas ao ensino, o que não acontece na maioria das universidades do setor privado. Justamente por causa dessa busca desenfreada por lucros que a universidade privada se torna pior do que a pública, e isso é fato, é só perguntar quantos alunos da Unic ou da Univag se sentem satisfeitos em relação a condição de seu curso, e só ver qual universidade aqui no estado forma profissionais de qualidade. Ao contrário do que você diz, a universidade pública é uma realidade em diversos países, como Noruega, Finlândia, Portugal e alguns países da América do sul. Detalhe – todos os países citados têm um produto interno bruto menor que o brasileiro.

  6. Marte é onde vc deveria morar caro colega. Nossos impostos são pagos para bens primários e se não sabe Educação é um deles. Quem fala em privatizar e acha que é solução pra melhoria de ensino e menos despesa pra governo é pq usou uma UF e não pagou por ensino mediano de muita Faculdade particular por ai, sem muitas vezes nem um professor com no mínimo um mestrado ter. Enfim tudo o que os governos sempre quiseram: manter o povo tapado, trabalhando pra mediocridade de não sair do lugar e bancando o rombo de governos hipócritas.

  7. O sr está completamente equivocado… O que o propõe só pode ser implantado em outro país. Aqui tudo isto que o sr critica são, na verdade, direitos constitucionais (!!) e, por conseguinte, deveres do Estado e dos governos que, pasmem, a juraram respeitar!!!
    Sabe a quê??
    À Constituição da República Federativa do Brasil!!!!
    Portanto um senhor que não honra a Constituição de seu país, uma das melhores do mundo, em termos de garantia de cidadania e direitos sociais, não é digno de crédito.
    Se não concorda, deveria mudar de país. Simples!
    A UFMT como todas as demais universidades públicas deste país muito nos honram, a nós que tentamos construir desde 1988 um país mais solidário com seu povo e com a natureza, com a educação de qualidade, com ciência de qualidade, com a não dependência tecnológica, saindo do passado de 517 anos de um país atrasado simples exportador de commodities… e acompanhado de um rastro cada vez maior de degradação ambiental e social, incluindo a saúde humana…
    O país que foi sonhado na Constituição de 1988 não é este que o sr descreve como ideal. Respeito à Constituição é o mínimo de civilidade que se pode ter.
    Portanto: Cumpra-se!

  8. CF88 é lixo e deve ser extinta.
    A unica CF boa que o Brasil teve foi a de 1824, que era liberal e inspirada na dos EUA, o restante só lixo comunista e populista assim como essa que está aí!
    Dane-se a CF88!

  9. Ridículo esse texto parei de ler quando falam de uma fake news, dizendo que o investimento da ufmt é maior que o orçamento de várzea grande, pesquise melhor antes de escreve bosta e deformar opiniões alheias .

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here